10 • julho • 2018

Logística Reversa: Projetos recebem e reciclam meias, calcinhas e sutiãs


A logística reversa que permite o descarte correto de peças do vestuário é um assunto que sempre tem espaço aqui no Moda Sem Crise. Depois de contar sobre as iniciativas das varejistas com forte atuação no Brasil – C&A e Renner que recentemente colocaram em prática projetos pilotos -, essa publicação soma a esses conteúdos mais dois projetos. Um de descarte de lingerie e outro de descarte de meias.

É de Minas Gerais a iniciativa que propõe a recuperação de calcinhas e sutiãs usados para encaminhá-los para doação. Localizada em Juruaia, cidade polo de fabricação de roupa íntima a 442 KM de distância da capital Belo Horizonte, a Ouse há mais de 20 anos fabrica lingerie, moda praia e fitness. A empresa informa que produz em média 50 mil peças por mês e a média de vendas é de 40 mil peças.

Segundo Lucia Corrêa, diretora de Marketing e Relações Comerciais da Ouse, o projeto Amiga Recicla que é bastante recente surgiu do desejo de promover uma nova ação social. “Há mais de dez anos criamos o projeto social Amigas do Peito que doa sutiãs para mulheres mastectomizadas e agora vimos a necessidade que que muitas mulheres carentes têm devido ao grande descarte e o que ele se torna para o meio ambiente”, explica.

Estima-se que em 2017, o Brasil tenha produzido 818.912 mil peças só no segmento de roupas íntimas. Os dados são do IEMI – Inteligência de Mercado. Os impactos que percorrem a cadeia produtiva têxtil passam também a produção de calcinhas, sutiãs e meias. Questões que vão desde o plantio do algodão até a confecção da peça e, consequentemente, o seu descarte – que quando feito de maneira incorreta, pode, por exemplo contaminar o solo.

logistica-reversa-projetos-reciclam-meias-calcinhas-e-sutias

Lançamento do projeto Recicla Amiga da empresa Ouse em maio de 2017 – Foto: Facebook Ouse

O objetivo da Ouse, conforme conta Lucia é arrecadar o maior número possível de peças. “Quanto mais arrecadarmos, mais mulheres ajudaremos”, afirma. As roupas íntimas recolhidas são peças usadas, porém em bom estado. Antes da doação, calcinhas e sutiãs passam por triagem e higienização. Com o apoio do Projeto Sertão – iniciativa do pastor Rodolfo Jason Pereira Bonel, de Juruaia – que leva alimentos, roupas e calçados para famílias carentes do norte de Minas e do Sertão da Bahia – as peças recicladas são distribuídas nestas mesmas regiões.

“As peças estão sendo arrecadadas na matriz da empresa, em Juruaia. E em lojas licenciadas. Em Varginha, em Minas, em Humaitá, no Amazonas, e em Promissão e Ribeirão Preto, no Estado de São Paulo. E também recebemos por envio pelos Correios”, completa Lucia.

Meias que viram cobertores para a população em situação de rua

Enquanto isso, o Projeto Meias do Bem há cinco anos vem transformando meias usadas em cobertores que são entregues para a população em situação de rua. O projeto é uma iniciativa da Puket – que durante o ano todo recebe meias em mais de 160 lojas – exclusivas e de parceiros – espalhadas por todo o Brasil.

O Meias do Bem alcançou números expressivos desde o seu surgimento em 2013. Já foram arrecadas mais de 1 milhão de meias usadas – cerca de 20 toneladas -, que recicladas acabaram transformadas em 25 mil cobertores entregues em conjunto com outros 25 mil pares de meias novas, oferecidos pela empresa. O projeto conta também com o apoio de mais de 250 ONGs cadastradas que atuam na distribuição desse material.

“O projeto Meias do Bem é um exemplo do quanto uma ideia pode fazer uma enorme diferença se cada um fizer um pouquinho. Só temos de agradecer ao carinho e apoio de cada um, pois esta iniciativa ter alcançado números tão expressivos se deve ao fato do público ter abraçado essa causa por todo o Brasil”, destaca Cláudio Bobrow, idealizador do projeto.

As peças podem chegar em qualquer estado. O processo de reciclagem feito em uma fábrica parceria em Ferraz de Vasconcelos envolve a higienização e trituração das peças. O resíduos dá espaço para a fibra com a qual os cobertores são confeccionados.

A empresa estima que cada par de meias reciclado possa economizar cerca de 75 litros de água e 66 BTU’s (Unidade Térmica Britânica) de energia. Portanto, o Meias do Bem já evitou o uso de 75 milhões de água e 66 milhões de BTU’s.

Serviço

Ouse – Projeto Amiga Recicla

Endereço: Rua Ana Vitória, 283, Centro – Juruaia – MG – CEP 37805-000

E-mail: lojavirtual@ouseouse.com.br

Telefones: (35) 99274-0022 | (35) 99177-1035 (Whatsapp)

Puket – Projeto Meias do Bem

Para encontrar uma loja acesse o link Puket | Unidades

LEIA TAMBÉM

O QUE VOCÊ FAZ COM A ROUPA VELHA QUE NÃO QUER MAIS?

VAREJISTA BRASILEIRA DISPONIBILIZA CAIXA COLETORA PARA DESCARTE DE ROUPAS EM 15 LOJAS DA REDE

C&A AMPLIA PARA 39 O NÚMERO DE CAIXAS COLETORAS PARA O DESCARTE DE ROUPAS

>>> <<<

E você conhece alguma iniciativa que promova a logística reversa?

Compartilha aqui nos comentários. 




Comente pelo Facebook

Ou comente por aqui:

• Instagram •

Follow @modasemcrise

Moda Sem Crise • todos os direitos reservados © 2018 • Logotipo por Marina Takeda • Desenvolvido por Iunique • Studio Criativo

Newsletter

Receba no seu e-mail as atualizações do Moda Sem Crise! É só assinar aqui: