15 • agosto • 2018

Descarte de roupa íntima velha sem condição de uso: Qual a solução?


Para jornalistas a internet é sempre um universo cheio de possibilidades. E pautas. Vira e mexe, algo chama a atenção e se torna conteúdo. Aqui no Moda Sem Crise se tem uma coisa que chama atenção é o assunto descarte.

Publicado em julho de 2018 o conteúdo “Logística Reversa: Projetos recebem e reciclam meias, calcinhas e sutiãs”, retoma a pauta dando duas sugestão de como descartar peças íntimas como meias – que recicladas viram cobertores populares por meio do projeto Meias do Bem da Puket.

E indica também o descarte de calcinhas e sutiãs – que entregues para doação são higienizadas e doadas pelo projeto Amiga Recicla da Ouse. A solução neste caso contempla apenas peças em bom estado. Causando ainda inquietação e dívida em relação às peças velhas e totalmente fora de uso.

Mas, um post publicado no Instagram do projeto Eco Saber da bióloga Sal Tavares especialista em gestão ambiental, desenvolvimento sustentável e especializada em biotecnologia, chama atenção por propor algumas soluções.

“Roupas íntimas são um dilema em nossas gavetas. As calcinhas velhas, por exemplo, com elásticos frouxos e furos refletem nossa clara preferência e comprovam um uso constante e repleto de aventuras. É tanto sentimento envolvido que inevitavelmente elas ficam no lado negro da gaveta, nos observando com aqueles furinhos arregalados. Brincadeiras a parte, sempre fico em um dilema shakespeariano (jogar no lixo ou não jogar: eis a questão). Meu lado minimalista grita pra jogar fora, mas o lado verde da força fala mais alto. Então deixo algumas sugestões.”

Sal dá as dicas elencadas abaixo:

Tenho intimidade com minha mãe e minha avó, então não tenho vergonha de como primeira opção, usar ou dar calcinhas em bom estado;

Utilizar em recheio de almofadas, travesseiros ou ursos de pelúcia;

Tecidos 100% de algodão podem ir para composteira, é só tirar o elástico e cortar em pedacinhos;

Com o elástico dá para fazer mil coisas. Use a criatividade;

Usar para limpar os dedos após passar produtos de higiene e beleza;

Retalhos para confecção de tapetes ou porta panela;

Sachê aromático para guardar-roupas e gavetas;

Cortar em tiras para amarrar tutor para plantas;

Mineira, Sal decidiu dar um propósito à vida e usa o projeto Eco Saber para multiplicar essa ideia. Em suas redes sociais e site, a bióloga dá dicas práticas sustentáveis e minimalistas. Entre os assuntos está a redução de lixo e o consumo responsável.

Além das sugestões citadas acima, Sal ainda indica no mesmo conteúdo “Roupas íntimas velhas: jogar no lixo é a única opção?” outros caminhos para o descarte. “Reutilize lacinhos, patches ou rendas para enfeitar bonecas, roupas, mochilas… Utilize sempre o R- reduzir para evitar a compra desenfreada de peças sem utilidade, reduzindo seus gastos, embalagens, desperdício e descarte. R-repense seu consumo: a escolha do tecido de algodão é boa não somente para o meio ambiente mas também para as partes íntimas, já que esse tecido permite que a pele respire, evitando abafamento, umidade e micro-organismos. Tecidos sintéticos, como o elastano e a renda já causam irritação.”

E nos comentários há também uma sugestão de Sofie Ulsig que usa as suas calcinhas velhas para limpar pincéis depois de pintar com tinta acrílica. “Daí não gasto papel nem me preocupo em manchar toalhas”, explica.

E você? Qual solução tem dado para o descarte da sua roupa íntima? Comenta aqui!

LEIA TAMBÉM

O QUE VOCÊ FAZ COM A ROUPA VELHA QUE NÃO QUER MAIS?




Comente pelo Facebook

Ou comente por aqui:

• Instagram •

Follow @modasemcrise

Moda Sem Crise • todos os direitos reservados © 2018 • Logotipo por Marina Takeda • Desenvolvido por Iunique • Studio Criativo

Newsletter

Receba no seu e-mail as atualizações do Moda Sem Crise! É só assinar aqui: