24 • julho • 2018

Que tal investir em um guarda-roupa compartilhado?


O uso compartilhado de roupas – conceito da economia colaborativa que segue na contramão do consumo desenfreado – começa se consolidar.

Se pouco tempo atrás, projetos como Roupateca e Guarda-Roupa Coletivo – precursores deste formato de consumo de peças do dia a dia – chamavam atenção pela novidade. Atualmente o que atrai olhares é o aumento do número de iniciativas que propõem a circulação de peças por meio de empréstimos e assinaturas mensais em diferentes regiões do Brasil.

O Moda Sem Crise pesquisou e encontrou opções de compartilhamento que vão além do eixo-Rio-São Paulo. Além das duas capitais, Goiânia (GO), Salvador (BA), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Niterói (RJ) e em Santos e Campinas (SP) também contam com as suas opções de guarda-roupas compartilhados.

Mais do que tendência. O que a moda quer é consciência. Confira:

 

Roupateca, Entre Nós (São Paulo): Guarda-roupa compartilhado, a Roupateca, Entre Nós conta com um acervo de peças de pessoas e de marcas. Para ter acesso é preciso assinar um dos planos mensais oferecidos. Os planos mudam de acordo com a quantidade de peças emprestadas, mas todos eles têm a mesma dinâmica: é possível trocar peças todos os dias; dá pra ficar até 15 dias com a mesma peça; e a roupa emprestada deve ser devolvido lavada e minimamente passada. Em caso de perda ou dano, é preciso pagar pela peça e neste caso vale o preço informado na etiqueta. Os preços dos planos variam entre R$ 150 e R$ 500.

Uma das perguntas que mais nos fazem: “mas as pessoas sabem mesmo usar o serviço? Elas entendem?” A nossa resposta está em constante evolução positiva. Sim. A grande maioria das mulheres entende o nosso principal propósito (você precisa mesmo TER tudo o que sente vontade de usar?), e explora ele de peito aberto. Claro que tem gente que chega aqui e não topa a ideia, não se adapta ao formato, e tudo bem, somos seres humanos em busca do que nos faz sentido, né! E, o sentido pra gente aqui é cada vez mais claro: compartilhar histórias (e muitas roupas <3), conectar pessoas, aproximar ideias e construir realidades pra um mundo mais coletivo, responsável e coerente. Essa é a @is_adorable, faz 1 semana que ela começou a usar o acervo, e é lindo já ver florecer uma relação diferente com seu próprio estilo 🙂 Se você quer saber mais sobre como a Roupateca funciona, clica ali no link da bio pra conhecer nossos planos. #roupateca #guardaroupacompartilhado #reuse #assinaturamensal #compartilhe

A post shared by Roupateca, Entre Nós (@roupateca) on

 

Guarda-Roupa Coletivo (São Paulo/Goiânia/Rio): Com curadoria de Lucid Bag, o acervo compartilhado de roupas e acessórios incentiva a circulação de itens pessoais e a valorização de patrimônios materiais da moda. O acervo reúne peças vintage, para o frio, ecológicas e para festa. A plataforma faz empréstimos e também aluga suas peças. O projeto inclui a Lucid Bag – acervo de moda itinerante disponível para empréstimos em palestras e eventos da área, como, por exemplo, Semana Fashion Revolution ou Brasil Eco Fashion Week. Uma novidade é a chance de conferir parte do acervo do Guarda-Roupa Coletivo no próprio site do projeto. Peça por peça são informadas o valor do aluguel; se faz parte do clube empréstimos; marca e a história da roupa. Há peças disponíveis em São Paulo (SP) e Goiânia (GO). Para se ter uma ideia, quem está na Capital paulista, pode emprestar do Guarda-Roupa na Re-Roupa uma Camisa Vintage Color, tamanho 44, de poliéster da marca On The Run por R$ 25 para usar por sete dias. Ah, vale lembrar que o Lucid Bag está na Hospedaria no Rio, portanto, está aí destino que você nem precisa mais se preocupar em levar mala.

 

Blimo – Biblioteca de Moda (São Paulo/Santos): Guarda-roupa compartilhado, a Blimo funciona por meio de assinatura mensal que fica válida por quanto tempo você quiser. A cobrança é feita todo mês na data de adesão. Há também a possibilidade de emprestar peças avulsas. Assinando plano dá pra ficar até dez dias com o que escolheu ou trocar de peça todos os dias. E o guarda-roupa conta com acervo que inclui peças plus size. O número de peças muda de acordo com o plano contratado. E os valores variam entre R$ 100 e R$ 190.

 

Nosso Closet Clube (Niterói): Localizado em Icarai, o Nosso Closet é também um guarda-roupa compartilhado que oferece planos mensais para empréstimos. É cobrado um valor fixo por mês. E o sistema opera por pontos. Roupas do dia a dia têm uma pontuação, enquanto peças mais sofisticadas têm outra. Os planos variam de acordo com o número de pontos que você quer para trocar por peças e um limite de peças que pode pegar por vez. os valores variam entre R$ 100 e R$ 350.

 

Store Be Strendy – Guarda-Roupa Compartilhado (Floripa): Acessórios, roupas e sapatos fazem parte do acervo deste guarda-roupa compartilhado de assinatura mensal. São itens de marcas e vintage também. O projeto oferece ainda planos para viagens. Há três planos: de R$ 50, R$ 100 e R$ 150, cada um dá direito a pegar uma quantidade determinada de peças por vez.

 

Amiga, Me Empresta? (Curitiba): O guarda-roupa compartilhado curitibano trabalha com peças de diferentes estilos e tamanhos. Os planos são: R$ 29, 90, uma peça por mês; R$ 59,90 por três peças por mês; R$ 89.90 por cinco peças por mês; e R$ 149,90 por peças ilimitadas, sendo cinco no máximo por vez.

 

MagMov Armário Compartilhado (Rio de Janeiro): Assinando um plano você pega emprestado um número limitado de roupas e acessórios. São três planos. De R$ 73 mensais para o empréstimo de até quatro peças por vez para usar por 30 dias com direito a uma troca no meio do mês. De R$ 132 mensais para oito peças combinadas entre si para usar por 30 dias. E de R$ 164 mensais que garante o empréstimo de até dez peças por vez para usar por 30 dias.

Entre Roupas (Campinas): Aberto recentemente, o Entre Roupas é o primeiro guarda-roupa compartilhado de Campinas. O local conta com acervo de roupas, acessórios e calçados. As assinaturas são mensais e variam entre R$ 50 e R$ 150.

Bom dia!! Olha o que acabou de chegar pra gente? Um ensaio realizado pelo @mondomoda.oficial com as roupas do nosso guarda-roupa compartilhado. 🧡 Parabéns @jorge.marcelo.oliveira e toda equipe, o ensaio ficou maravilhoso 😍😍😍 Edição de Estilo: Jorge Marcelo Oliveira @jorge.marcelo.oliveira @producao.de.moda Fotografia: Henrique Grandi @henrique_grandi Beleza: Nelcy Tocco @camarim44 Produção de Moda: Luiza Marino @luizamarino | Renan Gazotto @rezitox Modelos: Thalita Ivy, Natalia Akemi, Gabriela Venditti, Carolina Baldin e Daniela Cavalcante (@lagencemodelos) Looks: Entreroupas Guarda Roupa Compartilhado @entreroupas | Entrelinhas Garimpo Acessórios: Foi o Jorge que fez Ateliê @foiojorgequefez Meias/Botas: acervo Apoio: Projeto Oca Urbana @oca.urbana – Av. Doutor Heitor Penteado, 1785 – Taquaral, Campinas/SP – (19) 3324-2401

A post shared by Entre Roupas (@entreroupas) on

 

E + Bump Box (Atende gestantes das regiões Sul e Sudeste do Brasil): Com sede em São Paulo, a Bump Box é uma solução para mulheres grávidas. Marca própria, com coleções enxutas de peças, a Bump Box não é um guarda-roupa compartilhado. No entanto, aluga peças confortáveis para serem usadas exclusivamente durante a gestação. Há três planos disponíveis. O mensal, por R$ 319, com aluguel de 4 peças; o trimestral, por R$ 299 mensais com recebimento de três caixas com quatro peças em cada uma delas; e por fim o semestral com custo de R$ 279 mensais, que neste caso dá direito a uma caixa por mês durante os seis meses, também com quatro peças.




Comente pelo Facebook

Ou comente por aqui:

• Instagram •

Follow @modasemcrise

Moda Sem Crise • todos os direitos reservados © 2018 • Logotipo por Marina Takeda • Desenvolvido por Iunique • Studio Criativo

Newsletter

Receba no seu e-mail as atualizações do Moda Sem Crise! É só assinar aqui: