Moda Plus Size Masculina: Agora é que são eles? — Moda Sem Crise
20 • março • 2017

Moda Plus Size Masculina: Agora é que são eles?


MODA – A moda brasileira tem passado por significativas transformações. Um bom exemplo disso é o segmento Plus Size, que mesmo em meio à crise econômica, tem crescido cerca de 6% ao ano e movimentado R$ 5 bilhões, de acordo com dados da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest). É sábio dizer que ainda há muito a avançar? Sim. Mas são muitas as conquistas. E o último fim de semana (18 e 19 de março) provou isso.

Enquanto o Fashion Weekend Plus Size (FWPS) – apresentou as tendências de moda para o Outono/Inverno 2017 para a imprensa e convidados – o Pop Plus – bazar com quatro edições anuais que têm contribuído para o fomento de pequenas e médias marcas – recebeu seus consumidores com novidades, principalmente para o público masculino. O que se vê é uma moda feminina plus size que se consolida e ganha território. E a moda masculina que começa a dar sinais vitais.

Criador da marca Rainha Nagô, Diego Soares encerrou a série de desfiles na noite de ontem (19) do FWPS com uma performance com duas modelos femininas e um masculino para mostrar as novidades da marca. Criada há quatro anos, a Rainha Nagô sempre investiu em peças que atendessem o público feminino e masculino. Mas, há um ano decidiu focar os investimentos na moda feminina, que se mostrava mais forte. Otimista com o setor, Soares em dezembro de 2016 resolveu retomar a criação e venda de peças masculinas e já prospecta um crescimento que o faz apostar em uma marca exclusiva para homens que vestem acima do 46.

moda-plus-size-masculina-agora-e-que-sao-eles

Rainha Nagô fez desfile performático – Foto: Divulgação/FWPS

“Há um ano demos destaque para a feminina, porque era mais rentável, mas sempre trazendo peças unissex. Dessa forma, nunca deixamos a moda masculina parar. Em 2016, retomamos uma marca chamada Afro Style, que é nossa segunda marca. E vamos relançá-la como marca exclusivamente masculina. O mercado plus size masculino está crescendo. E temos sentido um aumento na procura de cerca de 30% na Rainha Nagô. É um mercado com potencial e que precisa ser incentivado”, conta.

Para Flávia Durante, empreendedora e criadora do Pop Plus, a moda masculina está hoje como a moda feminina esteve dez anos atrás, dando os primeiros passos. O bazar que teve sua primeira edição em 2012, surgiu com apenas nove marcas. Segundo Flávia, a proposta era reunir marcas femininas moderninhas. Com o crescimento, o evento mudou de lugar e passou a ocupar desde junho de 2016 um dos mais importantes centros financeiros de São Paulo, a Avenida Paulista. E na primeira edição de 2017, nos dias 18 e 19, reuniu nove marcas masculinas.

“Nesses quatro anos os homens começaram a aparecer e a nos pedir coisas para eles. Comecei a fazer pesquisa de marcas masculinas. No começo só tínhamos camisa e camiseta. Agora a grade tem uma linha mais completa. Tem marca de cuecas, jeans e casacos, uma variedade de peças masculinas. A pegada era fazer do Pop Plus um evento bem feminino, mas ele foi se adaptando à demanda”, explica.

E assim o segmento se adapta e quebra tabus. Segundo Flávia, a cultura do machismo é uma das barreiras para o avanço da moda plus size masculina. “Hoje no Pop Plus o público masculino é jovem, tem entre 2o e 30 anos e normalmente é o gay que tem um olhar mais apurado para a moda. Mas estou vendo uma mudança. Os meninos héteros estão pedindo moda para eles. E cada vez mais desmistificando que moda é algo fútil. Moda é uma forma de expressar. Exemplo, até mesmo na hora de ir a uma entrevista de emprego, você precisa estar de acordo com o que a ocasião pede. E aos poucos vamos quebrando isso. Porque a questão da moda masculina hoje está bem como era pra gente há dez anos. A evolução é bem devagar. Mas está caminhando”, completa.

Fashion Weekend Plus Size

O Fashion Weekend Plus Size encerrou o final de semana e levou à passarela diversão e sensualidade na noite do domingo, 19 de março. Segundo os organizadores, cerca de 2 mil pessoas passaram pelo Centro de Convenções do Shopping Frei Caneca, região Central. A 15ª contou com exposição de marcas, programação de palestras sobre o mercado e o desfile de 17 marcas. Duas exclusivamente masculinas, além da Rainha Nagô. E outras 14 dedicadas ao público feminino. Na passarela, homens e mulheres desfilaram ousadas possibilidades de composições de peças de tamanhos grandes. A noite também foi marcada por momentos de danças e performances elaboradas que causaram aplausos.

Idealizado por Renata Poskus, o evento começou em 2010, reunindo 400 pessoas. A ideia surgiu quando ao fazer um ensaio fotográfico com outras modelos plus size, Renata enxergou o segmento como uma oportunidade. “Invisto no setor por acreditar. O FWPS é realização de um grande sonho. O mercado está crescendo muito no nosso país, mais da metade da população está acima do peso e tem dificuldade para achar uma roupa adequada por isto incluímos em nosso evento, palestras com profissionais com expertise na moda Plus Size”, explica.

Confira o que rolou durante o desfile do FWPS

Nayane Rodrigues, marca cearense,  que completa 16 anos, participou pela primeira vez do FWPS e apresentou lingeries confortáveis que valorizam o corpo, com modelos que esbanjavam curvas e sensualidade na passarela.

moda-plus-size-masculina-agora-e-que-sao-eles

Desfile Nayane Rodrigues – Foto: Divulgação/FWPS

Já a marca Fun Size Maria Abacaxita, que fez sua segunda participação no evento, trouxe o tema ballet e além de cor e leveza, garantiu a sensualidade na passarela com muita dança e animação.

moda-plus-size-masculina-agora-e-que-sao-eles

O desfile irreverente da Maria Abacaxita – Foto: Divulgação/FWPS

Com 24 anos de estrada, a marca masculina Umen apostou em estampas e modernidade com peças exclusivas para os garotos que querem garantir mais estilo ao look.

FWPS hom2

Moda Masculina Plus Size Umen – Foto: Divulgação/FWPS

moda-plus-size-masculina-agora-e-que-sao-eles

Moda Masculina Plus Size Umen – Foto: Divulgação/FWPS

A marca de Monte Sião, Minas Gerais,  Kalanchoe Tricotaria de 25 anos, também fez sua primeira participação no FWPS com a elegância de  casacos, ponchos, blusas de gola alta e vestidos, delicados e sofisticados.

moda-plus-size-masculina-agora-e-que-sao-eles

Kalanchoê – Foto: Divulgação/FWPS

Quem também apostou no conforto e elegância da mulher plus size foi Gracia Alonso, que estreou no Fashion Weekend Plus Size com uma coleção inspirada na mulher madura e contemporânea, com malhas, crepes e rendas.

moda-plus-size-masculina-agora-e-que-sao-eles

Garcia Alonso – Foto: Divulgação/FWPS

A Mirasul, com 40 anos de atividade e com tecelagem e estamparia própria, apresentou looks perfeitos para o dia a dia de trabalho com o diferencial de tamanhos até o manequim 54.

moda-plus-size-masculina-agora-e-que-sao-eles

Mirasul – Foto: Divulgação/FWPS

A Vislumbre já é veterana do FWPS com sete participações, a marca  trouxe à passarela a coleção Femme Fatale, com mulheres poderosas em  lingeries elaboradas, especialmente desenvolvida para o Dia dos Namorados e Inverno 2017.

moda-plus-size-masculina-agora-e-que-sao-eles

Vislumbre – Foto: Divulgação/FWPS

O Hashtag Bazar reuniu marcas como Cazaco, Naiah, Belle Rose Plus Size, Carlota Rio, Ateliê Cretismo, Beauty in Curves, Rainha Nagô e Entrecores Acessórios em um um desfile colaborativo, valorizando os pequenos produtores e a moda plus size criativa.

moda-plus-size-masculina-agora-e-que-sao-eles

Hastag Bazar – Foto: Divulgação / FWPS

A Rainha Nagô encerrou a noite com um desfile rico em performance e empoderamento.  A marca, que surgiu no interior paulista, trouxe o estilo afro pop, com inspiração urbana e alternativa. Durante a participação no desfile do FWPS, a marca mostrou peças novas da coleção Outono/Inverno. “Temos nesta coleção peças versáteis e unissex. Coletes, jaquetas bomber, blazers estampados étnicos, vestidos ombro a ombro. Estão saindo mas algumas peças até o final de março”, diz Diego Soares, criador da marca. O próximo passo é colocar à venda uma coleção feminina que homenageará alguns de seus ídolos, como Nelson Madela, as cantoras Hihanna e Beyonce e o cantar Tim Maia. “Nos próximos meses vamos surpreender outra vez”, completa.

moda-plus-size-masculina-agora-e-que-sao-eles

Rainha Nagô – Hastag Bazar – Foto: Divulgação/FWPS

Guia de Marcas de Moda Plus Size

Moda feminina: Ackon, Asobi Mode Japan, Assens, Atelier Cretismo, Attribute Jeans, Beauty in Curves, Belle Rose Plus, Cabidemix, Carlota, Chica Bolacha, Clamarroca, Creare, Coletivo de Dois, Dona Mathilde, FALA, Flaminga, Gracia Alonso, Kalanchoê Tricotaria, LAB, Lollaboo, Lu Carmell, Madeleines, Maria Abacaxita, Melinde, Mii Psiquê, Mirasul, Na Beca, Naiah, Nina Vazquez, Oh! Querida, Rainha Nagô, Rouge Marie, Siga Raia, Scarlets, True E-motion, Vintage & Cats, We Love Ateliê, XZ e  Zuya.

Moda masculina: Ackon, Big Men, Cazaco, Chico, Coletivo de Dois, Cuecas Santo Homem, LAB, Lambuzada, Rainha Nagô, True E-motion e Umen.

Lingerie/Fitness/Praia/Dormir: Gamaia Esportes (fitness); Bambina, Cor de Jambo, Feminina Plus Size e Touha Biquínis (moda praia); For All Types (lingerie e moda praia); GG.rie, Morisco, Nayane Rodrigues e Vislumbre (lingerie), Clube da Meia Calça (meia-calça e shorts antiatrito); e Vincullus (pijamas e camisolas).

Acessórios/Bijuteria/Calçados: Basfond e Boutique Jurema (bijuterias); Entre Cores, Mary Help e Thalita Laleme (acessórios e bijuterias); e Sandalú Sapatilhas (calçados).

____

Curtiu este conteúdo? Quer ver mais? Siga o Moda Sem Crise no Facebook. Basta clicar no link cor de rosa, curtir a fanpage, seguir, interagir, e pronto, você  ficará por dentro de todas as novidades e publicações. Te esperamos!




Comente pelo Facebook

Ou comente por aqui:

• Instagram •

Follow @modasemcrise

Moda Sem Crise • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Logotipo por Marina Takeda • Desenvolvido por Responsivo por

Newsletter

Receba no seu e-mail as atualizações do Moda Sem Crise! É só assinar aqui: