29 • agosto • 2018

O despertar para um presente consciente


Desde criança queria ser jornalista e me dediquei à profissão com muito  muito amor e respeito. Sempre achei que a correria de uma redação, a adrenalina, o “fazer tudo correndo” era meu sonho de consumo. Estava enganada! Com o tempo eu percebi (após uns sacodes da vida), que eu estava errada sobre quem eu queria ser

Queria uma vida mais leve, calma e com propósito, mas não sabia como. Minha única certeza era que queria ajudar as pessoas e fazer algo relevante, como as pautas que fazia sobre denúncias em hospitais entre outras coisas, mas o quê? Tenho extensão em marketing digital/redes sociais e assessoria de imprensa, trabalhei em jornal (com TV, site e rádio), vários freelas, mas ainda não havia me encontrado. Sempre fui muito agitada e proativa, o que de fato são características importantes para uma jornalista, mas com o tempo fui me cansando disso tudo e meu propósito mudando. 

Comecei a me questionar sobre o meu trabalho: passar praticamente 12h dentro de uma redação, mal conseguir comer de uma maneira digna, passar metade desse tempo na rua atrás de notícias e depois ter que entregar cerca de quatro matérias ou mais (nos formatos TV e impresso), para no final das contas nada nunca estar bom...

Foto: Reuters / China Daily

Em um dado momento,  comecei a freelar para uma marca de moda com segmento sustentável e consciente. Foi então que pesquisando sobre esse universo tão amplo e cheio de opções, oportunidades e consciência, eu me apaixonei pela área! Comecei a me questionar sobre o sentido de tudo que eu fazia e decidi que começaria essa mudança por mim. 

Com o tempo fui descobrindo que eu não só poderia ver a moda e falar sobre ela com outro viés, mas também mudar toda uma rotina de vida que já não fazia mais sentido para mim, como hábitos, alimentação (a parte mais difícil) e minha maneira de encarar a vida. O meio ambiente está pedindo socorro e o que a maioria acha utópico, eu acho possível e provável. 

Pensei em estudar sobre os mais variados temas dentro da área, mas o que mais me chamou atenção foi como estamos destruindo o meio em que vivemos de maneira brutal, e a cada dia descubro que todos nós temos uma responsabilidade enorme ao cuidar dele e que posso fazer a diferença com meus atos e escolhas. 

 

A Meio & Vida nasceu para colocarmos esse assunto na mesa e mostrar que temos outras oportunidades. Falarei sobre os impactos da indústria da moda e de outros segmentos no meio ambiente e de como ao longo dos anos, os recursos naturais foram degradados e o resultado disso é o aquecimento global, alterações do ciclo natural dos animais e plantas, falta de água, entre outros. Daqui a alguns anos, as consequências serão piores com a ausência de água potável, energia elétrica e alimentos, além de ainda mais problemas sociais.

Essa primeira coluna foi pra contar um pouco da minha história e de como se deu a minha trajetória do jornalismo até aqui e como isso vem mudando o meu dia a dia e meus ideais em todos os âmbitos da minha vida. Vem, é só chegar!




Comente pelo Facebook

Ou comente por aqui:

• Instagram •

Follow @modasemcrise

Moda Sem Crise • todos os direitos reservados © 2018 • Logotipo por Marina Takeda • Desenvolvido por Iunique • Studio Criativo

Newsletter

Receba no seu e-mail as atualizações do Moda Sem Crise! É só assinar aqui: